angélica freitas (pelotas, 1973) escreveu os livros de poemas “um útero é do tamanho de um punho” (2012) e “rilke shake” (2007), e a graphic novel “guadalupe” (2012), em parceria com o artista visual odyr bernardi.  traduziu “como me tornei freira” (cesar aira, rocco, 2013), “cash – a autobiografia de johnny cash” (leya, 2013) e “eu vi um pavão” (autor anônimo, scipione, 2012), entre outros.

guadalupe

65039_g

com odyr bernardi

companhia das letras, 2012

 

“As questões civis mais importantes do mundo contemporâneo estão em jogo em “Guadalupe”: gênero, sexualidade, identidade e família. Enfim, na civilização em que eu gostaria de viver, é esse o tipo de coisa que as crianças leriam.”

francisco bosco, no globo

“Convocar a mitologia dos povos pré-mexicanos a par com o lastro da banda desenhada de super-heróis , a iconografia dos road movies e a exuberância de uma certa cena noturna de travestis e lantejoulas e com essa matéria criar uma narrativa de enorme densidade emocional, foi o que fizeram Angélica Freitas e Odyr em Guadalupe.”

sara figueiredo, na revista da fundação saramago (portugal)

“Angélica Freitas desmonta clichês sobre o universo feminino.”

guilherme freitas, no globo